Mudanças

Naquela terça-feira após uma conversa com seu pai decidiu que sairia de casa. Já havia um tempo que ensaiava tal atitude, muito antes da morte da mãe, mas devido ao episódio decidira que esperaria um tempo.
Foi difícil aceitar que seus pais não eram nada mais que um homem e uma mulher. Que não tinham todas as respostas. Tinham desejos e fantasias. Falhavam. E que, pior, faziam sexo! E que provavelmente não fariam parte do seu círculo de convivência se não fossem seus pais.
Desde muito cedo também deixou de acreditar em Deus. O “Papai do céu”, como dizia seus pais, não parecia tão bonzinho assim quando ele olhava para seus amiguinhos que eram levados para a escola em carrões pelos seus pais sempre bonitos e elegantes e ele tinha que ir caminhando para a escola junto com seu pai que parava na esquina do quarteirão da sua casa para esperar o ônibus para o trabalho e ele seguia caminhando sozinho até a escola. Ou ainda quando já estava no ensino médio e a garota mais linda do 2ºB mal olhava para ele, mas ficava com os meninos do 3º ano. Concluiu então que o mundo era injusto e que Deus não existia.
Abandonou também a política. A decepção e a frustração foram maiores que os anos de militância e ideologia que só lhe renderam um término de namoro, dependência em calmantes e uns dois amigos que não sabia se poderia confiar.
Na quarta-feira saiu do trabalho um pouco mais cedo para procurar um lugar para morar. Após visitar 3 ou 4 imobiliárias encontrou um apartamento pequeno com preço razoável e com boa localização. Assinou o contrato de locação e procurou alguém que fizesse o frete no sábado de manhã para carregar suas poucas coisas.
Terminou de fazer a mudança no sábado à tarde. Subir 3 andares pelas escadas carregando geladeira e guarda-roupa não foi fácil. Além do preço combinado pagou algumas cervejas para o pessoal que o ajudou com a mudança. De uma maneira estranha sentia uma simpatia pouco usual pelos anônimos.
Com pouca mobília terminou a arrumação no sábado à noite. Tomou um banho, pediu uma pizza, jantou, sentou em frente à televisão e chorou. Chorou até pegar no sono.

Anúncios
Publicado em Contos | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Grupo ½ Dúzia de 3 ou 4 transforma até o fim do mundo em música neste sábado em São Carlos

*matéria (versão sem edição) que escrevi como colaborador para o jornal Primeira Página – publicada hoje.

Como parte das atividades do MACACO (Movimento Artístico e Cultural do CAASO) o grupo paulistano ½ Dúzia de 3 ou 4 apresenta o show “Tudo se Torna” no SESC São Carlos neste sábado às 16h. O grupo apresenta um show performático com boas músicas, letras inteligentes e divertidas que consegue problematizar temas do cotidiano, divertir e interagir com o público ao mesmo tempo. No repertório músicas do primeiro CD “Tudo se Torna” e do trabalho mais recente “O Fim está próspero {Trilha sonora (oficial) do fim do mundo}”. Grátis.

Grupo 1/2 Dúzia de 3 ou 4

Integrante das atividades do MACACO (Movimento Artístico e Cultural do CAASO – http://macacaaso.blogspot.com/) 2010 o grupo paulistano ½ Dúzia de 3 ou 4 se apresenta no Espaço Sabatina do SESC São Carlos neste sábado com o show “Tudo se Torna”.

Criado há um pouco mais de 3 ou 4 anos, o ½ Dúzia iniciou suas atividades com a proposta de realizar um trabalho autoral na composição de crônicas musicais passeando de forma competente por vários gêneros musicais com um discurso crítico e bem humorado.

Em 2007 o ½ Dúzia de 3 ou 4 se apresentou em São Carlos na primeira edição do Festival Contato ainda sem lançar seu primeiro CD, mas obteve uma boa repercussão de público e crítica. Em 2008 o grupo lançou seu primeiro CD, o conceitual “Tudo se Torna” o qual tinha como mote a máxima de Lavoisier – “Na Natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma.” – para mostrar que também na arte “tudo se torna”. Nesse trabalho o ½ Dúzia apropriava-se de fragmentos ou ideias de outras músicas para “vir a ser” outra música (como em “Tom Zé é pai”; “Pô, Christina!”; “Introdução”, “Sem Pedir Licença”, entre outras). Afirmando, dessa maneira, a identidade polifônica do grupo. O CD (e o encarte) está disponível para download na íntegra no site do grupo (http://www.meiaduziade3ou4.com/) e o seu formato físico vem dentro de uma bolsa ecológica.

Agora o ½ Dúzia de 3 ou 4 inicia o lançamento do seu mais recente trabalho, intitulado “O Fim está próspero {Trilha sonora (oficial) do fim do mundo}”. Onde brincam com as teorias apocalípticas que afirmam que o mundo acabará em breve. Segundo eles, o cd fica pronto só em 2012, mas a partir de abril de 2010 a cada dois meses será colocado uma música nova para download no site até dezembro de 2011, para não correrem o risco de o mundo acabar e o CD não ser lançado. Junto com as músicas é lançado também um videoclipe para cada música e um ringtone para celular. Já foram lançadas 3 músicas, duas com participações especiais de grandes nomes da música brasileira. Uma conta com participação de Tom Zé e a outra com a de André Abujamra.

Com boas músicas, letras inteligentes e divertidas, o ½ Dúzia destaca-se com seu show performático sem personagens ou vozes principais e que consegue problematizar, divertir e interagir com o público ao mesmo tempo. De certa forma se assemelham àqueles que assumem com orgulho serem suas influências. Os quais podemos identificar, em boa medida, a Vanguarda Paulista, talvez um pouco da tropicália, mas com certeza muito Tom Zé, a quem o grupo chama de “pai” em uma das suas canções. E além dos brasileiros podemos notar também que os hermanos do grupo argentino Lês Luthiers influenciaram o ½ Dúzia.

O som e o bom desempenho de palco do ½ Dúzia, com todas essas influências somadas às particularidades de cada músico, nos faz lembrar um texto do Arrigo Barnabé sobre o Itamar Assumpção (no encarte do CD “Preto Brás” de 1998 de Itamar Assumpção) onde ele afirma que Itamar conseguia usar uma embalagem industrial e desvincular o seu sentido de mercadoria, da mesma forma que uma dona de casa transforma uma lata de óleo usada em vaso de flor.

O ½ Dúzia de 3 ou 4, mesmo hoje quando a embalagem mostra-se como grande trunfo da Indústria Cultural, mostra-se como parte de um grupo de poucos artistas que podem transformar latas vazias em vasos de flores.

Serviço: ½ Dúzia de 3 ou 4 – Tudo se Torna
Onde: SESC São Carlos – Avenida Comendador Alfredo Maffei, 700 – Jardim Gibertoni
Dia: 18/09 (sábado)
Horário:16 horas
Grátis

Publicado em Matéria, Publicações | Marcado com , , , , | 4 Comentários